UM NOVO CENÁRIO PARA A AMÉRICA DO SUL

Mesa dirigente e painelistas

As iniciativas governamentais e da sociedade civil estão desenhando um novo cenário para a região sul americana. Ao escolher este tema para ser desenvolvido no III Seminário Internacional das Rotas de Integração da América do Sul, a Direção do Comitê entendeu que é chegado o momento de consolidar iniciativas concretas para que "integração e desenvolvimento" sejam não simples palavras, mas ações objetivas em uma nova engenharia financeira.

Pedro Fernando Brêtas Bastos, Representante do Ministério das Relações Exteriores do Brasil no Conselho Temático do Comitê

Pedro Fernando Brêtas Bastos, Ministro - Chefe da Divisão América Meridional-1 do Ministério das Relações Exteriores do Brasil ressaltou os projetos de integração física e energética e a participação do Brasil na universalidade de interesses e inserção em Fóruns e de que o país não tem interesse em qualquer projeto hegemônico. Reportou-se a intensificação de diálogos bilaterais e estratégias diplomáticas, citando na década de 1960/1970 a integração da faixa amazônica, a inserção competitiva no mercado mundial e uma visão mais dinâmica. Lembrou o relacionamento com os países da região, exemplificando com o gasoduto Brasil-Bolívia e tendo na Argentina e Venezuela, países vizinhos, fornecedores de petróleo ao Brasil. Também a integração em recursos hídricos fronteiriços para a geração de energia, em que Itaipu é um exemplo marcante desta cooperação e não de desentendimentos. Finalizou afirmando a coesão da região e que tem na integração física um importante fator de desenvolvimento econômico.

Flávio Sottomayor Santos Jr, Gerente de Programa da Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos - SPI

Flávio Sottomayor Santos Jr, Gerente de Programa da Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos - SPI, representante do Doutor José Paulo Silveira, titular da mencionada Secretaria a qual é integrante ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão do Brasil, estando o conferencista trabalhando especificamente no projeto de Integração da Infra-estrutura Regional da América do Sul. Apresentou a origem do projeto IIRSA (Integração da Infra-estrutura Regional Sul Americana), a sua organização, a situação das atividades e os resultados já alcançados, a definição dos principais Eixos de Integração e os Processos Setoriais (sistemas operativos multimodais, passagens de fronteiras, marcos normativos em mercados energéticos, etc.). Enfocou a participação do governo brasileiro neste processo de integração e desenvolvimento e traçou uma linha comparativa com o projeto nacional brasileiro, enfatizando que os eixos de integração e desenvolvimento representam um projeto da América do Sul. Reportou-se a constituição, por decreto presidencial, de Comissão a nível de ministros, em setembro de 2001, para conduzir as ações pertinentes ao Brasil; discorreu sobre o envolvimento inicial das agências multilaterais de fomento (CAF, BID e FONPLATA) a partir da reunião de todos os Presidentes dos países da América do Sul, realizada em Brasília em 2000, origem efetiva do projeto IIRSA. Reportou-se também a participação da iniciativa privada e a formatação de um processo que intitulou de ganho mútuo, de sustentabilidade e segurança, de parcerias estratégicas e a redistribuição da cadeia produtiva.Finalizou ressaltando que o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão está em conjunto com os demais Ministérios e organismos governamentais brasileiros, inteiramente voltado a concretizar as metas de integração e desenvolvimento da América do Sul.

Juan José Taccone, Diretor do BID/INTAL

Juan José Taccone, Diretor do BID/INTAL expressou que os três fatores básicos para a integração compreendem energia, transportes e comunicações e que é bem conhecida a ação do BID na busca de soluções para o desenvolvimento econômico e social da América do Sul e que todos aqueles que estejam envolvidos no desenvolvimento da infra-estrutura da América do Sul devem estar entusiasmados com os progressos alcançados. Afirmou que o setor de transportes é um dos maiores desafios para a região e quão importante é a participação do setor privado no processo de desenvolvimento regional. Resumiu suas palavras que há diferenças entre os países e seus produtos e que para o sucesso da integração há necessidade de um forte compromisso dos governos e da sociedade, além de que a estabilidade é uma componente essencial.

Guillermo Vega, representante do Presidente da CAF

Guillermo Vega Alvear, assessor especial do Presidente da Corporação Andina de Fomento, Enrique Garcia, e seu representante para este evento, apresentou detalhada exposição sobre os Eixos de Integração e Desenvolvimento, abordando as questões da globalização, da competitividade e da logística integrada. Lembrou com ênfase e propriedade os conceitos de distância física versus distância econômica. Ressaltou a importância para a América do Sul deste projeto e o que ele poderá representar para uma acentuada melhoria nos níveis de desenvolvimento econômico e social. Enfatizou a importância de uma adequada integração multimodal e que contemple os segmentos rodoviário, ferroviário, hidroviário/portuário, aéreo , geração de energia, comunicações e o pleno funcionamento de aduanas. Discorreu sobre a questão de endividamento de governos o que pode impedir a concretização de projetos e a necessidade de uma ampla presença da sociedade neste processo com a criação de novas engenharias financeiras. Relembrou que nesta, como em outras oportunidades, tanto a CAF como o BID tem citado a importância que dão aos trabalhos do Comitê das Rotas de Integração da América do Sul , traduzido neste III Seminário Internacional das Rotas de Integração onde são dois dos patrocinadores.
Concluiu fazendo um chamamento à sociedade civil para ampliar sua presença e participação neste processo de integração e desenvolvimento da América do Sul.

Joal Teitelbaum, Presidente do Comitê

Joal Teitelbaum, Presidente do Comitê das Rotas de Integração da América do Sul ao encerrar o Painel registrou a importância que era conferida a presença destes painelistas e do tema ora abordado. De um lado dois integrantes do Governo brasileiro, Pedro Fernando Brêtas Bastos e Flávio Sottomayor Santos Junior que aportavam o enfoque governamental de um projeto considerado como sul americano e da importância conferida, expressada na ágil constituição de uma Comissão Ministerial anunciada em julho de 2001 por Flávio Sottomayor Santos Junior na reunião do Conselho Temático do Comitê em Brasília e que no mês de setembro de 2001 tornava-se efetiva por Decreto do Senhor Presidente da República do Brasil e pelo outro lado os representantes do BID e da CAFJuan José Taccone e Guillermo Veja Alvear que expunham também de forma atualizada os avanços e conquistas nestes últimos doze meses, já com a implantação do IIRSA e da importância da permanente e crescente participação da sociedade civil neste macro projeto para a América do Sul, ressaltando que o Comitê pretendia, como o fez em outubro de 2000 ao trazer sugestões de caráter físico para a formatação dos eixos de integração e desenvolvimento com o denominado "Projeto América do Sul", trazer agora em 2001 a contribuição da sociedade civil com o projeto "Pólos de Excelência de Desenvolvimento" e que será apresentado no painel de encerramento. Ao concluir considerou que por uma questão mínima de reconhecimento aos painelistas deveria ficar registrado o incansável trabalho que os mesmos vem desenvolvendo em diversas regiões, não apenas da América do Sul, não podendo deixar de nominar também a Antonio Juan Sosa, Vice Presidente de Infra Estrutura da CAF, Carlos Zannier, Diretor de Integração da CAF e hoje também trabalhando no projeto IIRSA, às autoridades governamentais dos doze países da América do Sul, ao Secretário de Planejamento e Investimentos Estratégicos, José Paulo Silveira grande incentivador deste projerto e aos componentes do BID/INTAL, CAF e FONPLATA, por tudo aquilo que vem sendo construído para a integração da América do Sul e onde a sociedade civil vem procurando aportar seus conhecimentos e ação participativa.

 

Subir
 
Descer
Voltar para Inicial
 
Primeiras Palavras
Programa
Mesa Redonda
Um Novo Cenário
Perspectivas de Investimento
Reunião Almoço
Marco Institucional
Conselho Temático
Participantes
Diversos
Notas da Imprensa
Realização e Patrocínio